• Categorias
  • Se aceite do jeito que você é



    Mas tudo bem se surgir uma neura às vezes.






    Me relacionar com meu próprio corpo nunca foi algo fácil. Desde a pré-adolescência, quando as neuras com a aparência começam a surgir de verdade, sou gordinha. Sempre me considerei uma garota muito acima do peso e isso constantemente se mostrava como um problema para mim, seja comprando roupas, fazendo novas amizades ou tentando conseguir um namorado.
                   
      Dos poucas amigas que tive, nenhuma tinha essa relação tão problemática com o próprio peso, e isso fazia com que eu me sentisse muito inferior sempre que estávamos juntas. De grão em grão o preconceito vem diminuindo, porém a mídia e grande parte da sociedade ainda contribuem muito para que essa pressão toda em torno da aparência continue existindo.
                    
    Era impossível pra mim não me sentir a pessoa mais horrível do mundo quando não podia usar a última tendência da moda ou quando não conseguia acompanhar o desenvolvimento das outras garotas. Dei meu primeiro beijo aos quinze anos e o segundo só aos dezoito, e ver outras meninas que tinham tantos pretendentes ao seu redor me fazia pensar que eu era uma pessoa muito ruim.
                    
    Também era impossível não sofrer sempre que saía com os amigos e voltava sem ter recebido nenhuma cantada, ou quando, nos almoços em família, tinha que aguentar todo mundo vigiando quanta comida eu ia colocar no prato ou se eu ia repetir.
                   
    E esse não é um problema que aflige só as gordinhas, quantas vezes já ouvi amigas reclamando que estão muito magras, que não aguentam mais ouvir comentários a esse respeito e o quanto é difícil engordar uns dois ou três quilos. A mesma pessoa que me chama de gorda diz que minha amiga é magrela. Existe um mundo lá fora para o qual você nunca será boa o suficiente, sempre existirá alguém para dizer que você está abaixo ou acima do peso.
                    
    Agora virou moda a campanha para a mulher aceitar e amar suas curvas, mas e a mulher que tem curvas demais ou curvas de menos, como faz? Acho que deveria ser feita uma campanha para a mulher acreditar que é possível ser feliz e ser linda do jeito que é, independente de estereótipos. Se ela é feliz e se sente bonita fazendo dieta e exercícios ou comendo muito de tudo, a deixem em paz. Parem de acreditar que existe um modelo de beleza e que a casca faz o recheio ser melhor ou pior.
                    
    Escrevendo assim pode até parecer que eu sou a pessoa mais bem resolvida do mundo, mas não é verdade. Vou alternando momentos bons e ruins, e no momento vivo uma crise de neuras com as minhas gordurinhas a mais. Mas o melhor que podemos fazer é seguir assim, matando um leão por dia, até que eles não nos incomodem mais.
    COMENTÁRIOS DO FACEBOOK
    COMENTÁRIOS DO BLOGGER

    2 ♥

    1. Estava de bobeira na internet e achei seu blog, agora, não consigo mais parar de ler seus textos. Esse -particularmente- me chamou mais atenção, pois vivo uma situação semelhante. Adorei seu blog, beijos.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Que gracinha >< Então não se esqueça de voltar sempre que puder Stefani'

        Excluir



     
    Copyright © Blog da Vanessa | Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por VR DESIGN :: VOLTE AO TOPO