• Categorias
  • Namore alguém que...


    Sou apaixonada por livros, tenho uma estante no meu quarto que só não está mais cheia por falta de grana. Em todas as redes sociais costumo seguir/curtir várias páginas que falam sobre o mundo da leitura para estar sempre por dentro de lançamentos e novidades. Também participo de pelo menos uns três grupos do estilo “Clube do Livro” que são bem interessantes para quem gosta de receber indicações e dicas sobre as melhores promoções. Já vi várias vezes nesses grupos a campanha “Namore um(a) garoto(a) que lê” e ela sempre tem o poder de dividir as opiniões dentro de mim. É claro que seria lindo estar com alguém que compartilhe comigo uma das minhas maiores paixões, mas será que isso é realmente tão necessário assim? Ou melhor, será que apenas uma informação é suficiente para se escolher alguém?

    Essa não é a primeira vez que vejo uma campanha desse estilo. Se procurar por aí, você encontrará a frase que dá título a esse post completada com uma infinidade de características diferentes. Em um mundo onde se mostra cada vez mais a intolerância aos padrões pré-estabelecidos, me surpreende ver tanta gente definindo estereótipos assim. Fico com a impressão de que na pressa de encontrar aquela tão sonhada metade da laranja, as pessoas se agarram a uma qualidade específica para facilitar um pouco as coisas. Como se isso criasse uma espécie de filtro na incessante busca pelo par ideal, ou como se uma característica em comum fosse uma garantia do felizes para sempre.

    Uma paixão por música, literatura, esportes, ou qualquer outra coisa não define ninguém. E se você for fissurada em MPB e ele um fã de rock bem pesado? Se o ídolo dele for Tolkien e sua escritora preferida for a Candace Bushnell? Se ele for corinthiano roxo e você uma palmeirense? Seguindo essa lógica dá pra ir percebendo quantas diferenças você pode encontrar mesmo tendo algum gosto em comum. Ficar procurando por alguma característica específica não te dá a certeza de encontrar alguém com quem você realmente se identifique e pior, mantendo os olhos fixos em um só caminho você pode estar deixando de conhecer muitas pessoas legais com as quais poderia se identificar.

    Não se prendam a todos esses rótulos. Namore alguém que faça você se sentir especial e que tente te conquistar um pouco mais todos dias. Aquela pessoa com quem você pode ser quem realmente é, sem medo e sem a necessidade de ter que “mover o mundo” o tempo todo só pra agradar. Alguém que faça as conversas nunca terem fim, mesmo que as suas paixões estejam em lados completamente opostos da mesma moeda.  Namore alguém que se preocupe com você, que se importe com você, e mais importante do que qualquer outra coisa que eu tenha dito nesse parágrafo, namore alguém que ame você.

    Ainda tenho vinte anos, não posso dizer que a minha bagagem está lotada de experiências, mas se tem uma coisa que aprendi (e nunca esqueci) foi apreciar essa beleza que existe no que é diferente. Relacionamentos com pessoas que tem interesses distintos dos seus são garantia de conhecer um monte de coisas novas, e aquele cara que você imaginava que não tinha nada a ver com você pode estar só esperando uma oportunidade para se tornar o seu príncipe encantado. Mas também não precisa se apegar àquele velho ditado que diz “Os opostos se atraem”. Melhor se manter sem neuras e sem adotar posturas muito radicais. Que tal fazermos um trato? Quando estiver interessado em encontrar alguém para namoro, ou só para amizade mesmo, faça sua busca sem filtros. Deixe os seus horizontes bem abertos, e como diria aquela música que eu adoro, o que for pra ser, será...
    COMENTÁRIOS DO FACEBOOK
    COMENTÁRIOS DO BLOGGER

    1



     
    Copyright © Blog da Vanessa | Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por VR DESIGN :: VOLTE AO TOPO