• Categorias
  • Vão te fazer os cortes, nunca as suturas.


    Hoje eu chorei por você pela primeira vez. Começou como uma lágrima que escorreu tímida pela bochecha e parou no canto dos lábios. Depois se transformou numa cascata de lágrimas que não parava de cair. Na verdade eu nem sei ao certo porque aquele choro tinha tanta pressa de sair do meu corpo e se mostrar para o mundo. Acho que culpar só aquele texto lindo que li e me fez lembrar você não é justo, esse choro foi mais uma explosão das toneladas de sentimentos que eu vim guardando dentro de mim durante todos esses meses. Tenho essa mania de superestimar a força do meu coração, aí vou enfiando decepções, alegrias, tristezas e mais um monte de outras coisas, achando que ele tem tanto espaço quanto aquela bolsa da Hermione. Mas não tem. E hoje ele me mostrou isso.

    Acredito que existem tristezas mais e menos fáceis de superar, e os pequenos rastros de dor que nossa história foi deixando em mim são mais difíceis de apagar que mancha de mostarda em camiseta branca. Talvez se eu tivesse algo concreto pelo que me lamentar as coisas seriam mais simples, mas o que aconteceu (ou deixou de acontecer) entre nós sempre foi um conjunto de incertezas, esperanças e palavras que sempre ficavam por dizer. Quase dava certo o nosso primeiro encontro, quase nos beijávamos, você quase dizia que me amava... Você me encorajava com suas promessas e eu te assustava com todas as certezas de que te amava e que você era a mulher da minha vida. E nessa toada nós seguíamos por estradas opostas, e nossos caminhos nunca se encontravam.

    Eu poderia ter mascarado muitos sentimentos, fingido que você era só mais uma e que a sua chegada em minha vida nem era grande coisa. Nunca conquistei essa façanha porque ao primeiro sinal de uma aparição sua minha vontade era gritar para o mundo inteiro ouvir o quanto você é maravilhosa e quanto eu te amava. Posso não ter falado para o mundo inteiro, mas falei pra você, e senti você se afastando cada vez que isso acontecia. Eu dava um passo adiante, afoita para te mostrar alguma música legal (e torcia para você enxergar minhas indiretas no meio da composição) ou o último texto que escrevi para você, e você dava um passo para trás, mas não ia antes de jogar um balde de água bem fria em cima de mim.

    Eu corria, me secava do mais novo banho gelado e me aquecia para logo em seguida ir atrás de você mais uma vez. Às vezes sentia as pernas fraquejarem e uma vontade insana de jogar tudo para o alto. Uma voz interna me dizia que eu perdia um pouco mais da minha dignidade e do meu amor próprio sempre que passava por cima de todos esses seus descasos e mandava mais um ‘oi’ que na maioria das vezes era lido e ignorado. Mas em vez de escutar, eu cavava até o fundo do coração para encontrar o tal bichinho que dizia essas coisas, o amordaçava e jogava no fundo de alguma gaveta pra ver se assim conseguia me esquecer da sua existência. Pensar na possibilidade de desistir de você nunca foi tarefa fácil.

    As lágrimas secaram muito antes do que eu imaginava, mas o aperto no coração continuou aqui, firme e forte. Queria poder trancar todos esses sentimentos na tal gaveta bem no fundo do coração, para eles serem esquecidos aos poucos até que realmente deixassem de existir, mas não consigo. Queria arrancar todo esse mal pela raiz, mas não posso. Por mais louco que isso possa parecer, é mais fácil para eu cuidar das feridas e tratar os machucados do que exterminar de vez a causa deles. A verdade é que ainda não estou pronta para deixar de te amar.


    “Tem que saber que não é invulnerável, que vão
    Te fazer a corte e os cortes, nunca as suturas
    Você é antigo na dor, faz de sangrias coaguladas teu pranto
    Você colocou as mão na labareda
    Deu as mãos de bandeja a palmatória
    Você cometeu hara-kiri e o show ainda nem chegou na metade.”
    Solitária – A Banda Mais Bonita da Cidade
    COMENTÁRIOS DO FACEBOOK
    COMENTÁRIOS DO BLOGGER

    6 ♥

    1. "A verdade é que ainda não estou pronta para deixar de te amar." Coisa mais linda esse texto, hein? Às vezes a gente acha que superou e vem a vida e nos mostra que não é bem assim.
      Beijinhos da Bru
      http://garotasmore-girls.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Isso mesmo, a gente acha que já está bem até que a vida vem e nos dá um tapa na cara haha

        Excluir
    2. Caramba!
      Senti algo tão forte lendo esse texto.
      Digo isso de todo o meu coração.
      Uma mistura de saudade, dor e algo que não sei explicar.
      Parabéns!!!!

      http://sentimentalismodesmedido.blogspot.com.br/

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. É lindo saber que meu texto proporcionou essas sensações em alguém. Muito obrigada <3

        Excluir
    3. "Por mais louco que isso possa parecer, é mais fácil para eu cuidar das feridas e tratar os machucados do que exterminar de vez a causa deles. A verdade é que ainda não estou pronta para deixar de te amar." A parte mais difícil é estar pronta para deixar de amar alguém, deixar de sentir o que o amor faz com a gente e o que essa pessoa representa em nossas vidas. Sei bem como é, ficar presa nesse sentimento tão bom, mas que machuca sem perceber.

      Parabéns pelo blog! (:

      ResponderExcluir



     
    Copyright © Blog da Vanessa | Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por VR DESIGN :: VOLTE AO TOPO